post

Como Viajar em Low Cost em 2014

 O preço é fundamental na compra de uma viagem. A Rumbo, agência de viagens online, elaborou um conjunto de conselhos práticos para ajudar os viajantes a poupar nas suas viagens, sem prescindirem de nada. Para encontrar boas oportunidades, é essencial planificar a viagem, ter objectivos claros e ser flexível.

1. Compre os bilhetes de avião com 1-3 meses de antecedência, procure as ofertas de última hora e inscreva-se nos programas de fidelização. Se vai viajar de comboio, usufrua do desconto de 50%, destinado a famílias ou pequenos grupos de 3 a 9 elementos, desde que as viagens sejam efetuadas ao sábado (todo o dia) e ao domingo (até às 12H00).

2. Considere a possibilidade de ficar alojado numa casa de férias ou num aparthotel de uso regulamentado. A oferta é ampla, económica e flexível, já que poderá poupar dinheiro em restaurantes, sobretudo se viaja em família.

3. Aproveite as ofertas semanais das agências de viagem. Se tiver disponibilidade, fuja das férias em época alta. Poderá escolher um destino e conseguir melhores serviços, a preços mais baixos, noutras épocas.

4. Se vai fazer um cruzeiro, procure as ofertas “tudo incluido”, que além de mais baratos, incluem benefícios especiais no preço, tais como sessões de Spa, massagens, excursões, tratamentos de beleza, etc.

5. Procure pacotes dinâmicos, que agrupam mais do que um serviço (voo, hotel, etc), ou desenhe a sua própria viagem estabelecendo prioridades: data, preços mais atrativos, destino, etc. Poderá poupar até 60%.

6. Efectue o check-in online. Além de ser mais cómodo, as companhias aéreas low cost oferecem este serviço gratuito.

7. Calcule bem o peso da mala para não ter um gasto extra no voo. Embora o peso permitido varie entre as companhias aéreas, está entre 15-25 quilos na mala do porão e 10 quilos na mala de mão. Se sabe que a sua bagagem ultrapassa o máximo permitido, opte por pagar o excesso via online, pois é mais barato do que fazê-lo no balcão de embarque.

8. Os voos baratos variam o preço consoante os dias. É por isso necessário ter atenção aos dias em que se marca as viagens de avião. Os dias mais baratos são as terças, quartas e sábados e, os mais caros, as sextas e domingos. Deve evitar-se as épocas de festas ou férias escolares, pois os aumentam os preços. Os voos de manhã cedo e de noite costumam ser mais baratos.

9. A questão seguro deve ser analisada, pois pode ver-se obrigado a cancelar a viagem por doença, trabalho, assuntos familiares. Se tiver feito um seguro de viagem, poderá recuperar até 100% do dinheiro gasto, incluindo os custo de emissão e gestão de bilhetes.

10. As agências de viagem online permitem reservar hotéis “ocultos” com grandes descontos sobre o preço standard. Com esta opção, o utilizador escolhe a cidade/zona de destino e só sabe o nome do hotel depois de fazer a reserva.

post

Guia Completo para uma Escapadela a Barcelona

Quando se fala em escapadelas de fim-de-semana numa cidade europeia, Barcelona continua a encabeçar a lista das preferências dos portugueses, aliando as múltiplas e imperdíveis atrações turísticas, às opções low cost, cada vez mais atrativas.

E porque não aproveitar o outono para se perder durante dois dias na mais movimentada e vibrante cidade espanhola? Ainda que Barcelona seja altamente rica em pontos turísticos, mundialmente conhecidos pela arte, arquitetura e estilo, um fim-de-semana na capital da Catalunha será o suficiente para conhecer as principais ruas, praças, igrejas e museus, bem como para degustar a típica gastronomia.

Para um fim-de-semana low cost, mas não menos especial e proveitoso, o ideal será preparar a viagem com antecedência, para que sobre tempo para definir um roteiro turístico à sua medida. Mantenha-se atento às promoções de voos low cost e de alojamento, sendo que reservas feitas com bastante antecedência, podem ser a melhor forma de conseguir preços mais em conta. Diariamente, existem voos a partir do Porto e de Lisboa, com destino a Barcelona, a preços bastante reduzidos, que, por vezes, ainda estão sujeitos a descontos.

Dicas para Poupar em Barcelona

Como acontece em qualquer grande cidade, fazer reservas com bastante antecedência, seja em hotéis, hostels ou pousadas, é uma forma eficaz de conseguir melhores preços, devendo estar atento a promoções que poderá encontrar na internet. Um bom sítio para começar é o trivago onde pode comparar os preços de diversos hóteis em Barcelona.

Sendo uma cidade que atrai imensos jovens, Barcelona encontra-se repleta de opções bastante aliciantes e económicas, especialmente indicadas para grupos de turistas, como é o caso dos hostels. Também o couchsurfing se tem tornado numa opção que atrai cada vez mais adeptos, já que é possível ficar hospedado, gratuitamente, no sofá de alguém.

Arco do Triunfo, Barcelona

Para se mover em Barcelona, aproveitando ao máximo o fim-de-semana, sem gastar dinheiro em táxis ou em aluguer de automóveis, os transportes públicos são a melhor opção. Além de a cidade disponibilizar uma vasta rede de autocarros, metros e comboios, existe a possibilidade de comprar cartões que dão direito a várias viagens, economizando no valor que pagaria por cada título individual. O cartão T10 é um dos mais populares, dando acesso a autocarros e metro, bem como o Barcelona Bus Turistic, um autocarro destinado ao turismo local, com o custo de cerca de 20€ por dia, que dá acesso aos mais diversos transportes e rotas, podendo mudar as vezes que quiser.

Se ainda houver tempo e orçamento para comprar umas pequenas lembranças, evite as lojas dos pontos turísticos mais movimentados, bem como os shoppings. Para encontrar os melhores artigos tradicionais, a bons preços, o Bairro Judeu de El Call é uma das melhores zonas.

Para que possa desfrutar ao máximo de Barcelona, fazendo um autêntico tour pelas maravilhas desta cidade única, o cartão turístico Barcelona City Card pode ser a melhor forma de poupar dinheiro, sem ter de ficar à porta das principais atrações. Ao comprar este cartão, terá acesso gratuito a museus e outros pontos turísticos de relevo, transportes públicos ilimitados, descontos em atividades, parques, bares, lojas e espetáculos. O cartão pode ser válido pelos 2 dias, sendo que os valores irão dos 25€ aos 40€, consoante a modalidade que escolher. No entanto, se o seu principal interesse for visitar os muitos museus de Barcelona, o cartão Articket Barcelona irá compensar, já que permite a entrada gratuita em todos eles, por menos de 30€.

No caso de não dispor de qualquer cartão turístico, no primeiro domingo de cada mês, a maioria dos museus é de entrada livre, incluindo o Museu Picasso e o Museu Nacional d’Art de Catalunya.

Para conseguir refeições a preços acessíveis, afaste-se das ruas mais movimentadas, como Las Rambas, e dirija-se para as ruas menos turísticas, onde encontrará restaurantes bem mais baratos. Evite sempre as esplanadas dos bares e restaurantes, já que, muitas delas, cobram uma taxa adicional. Por toda a cidade, irá encontrar supermercados, podendo optar por comprar comida e fazer um agradável piquenique num parque ou praça, no caso de estar bom tempo.

O que Fazer em Barcelona

Para aproveitar cada momento do seu fim-de-semana de outono em Barcelona, não faltam atividades para todos os gostos e carteiras, existindo roteiros alternativos, ideais para aqueles que não se querem ficar apenas pelas visitas a museus.

Aproveitar o início da tarde para visitar uma exposição gratuita, numa das muitas galerias de arte da cidade, como o Palau Robert, é uma excelente forma de celebrar o facto de estar numa cidade que respira arte.

Bairro de GraciaIr a Barcelona é sinónimo de saborear as famosas tapas, num dos muitos bares típicos, e de deliciar-se com os imperdíveis churros com chocolate, no Bairro Gótico. Provar a gastronomia típica é, sem dúvida, uma das coisas que deverá fazer.

À noite, a cidade torna-se ainda mais agitada, com bares repletos de gente e animação. Aproveite a noite para ir até ao Bairro de Gracia, passear pelas características praças, beber um copo num bar e desfrutar de um concerto de música ao vivo, em plena rua.

No domingo de manhã, aproveite para percorrer o mercado de San Antoni e explore as diversas lojas vintage do Bairro Raval.

O que Visitar em Barcelona

Ainda que o tempo seja escasso, perante uma cidade com tanto para ver e conhecer, num fim-de-semana poderá sentir o pulso a esta vibrante cidade, passear pelas imensas ruas e praças, desfrutar da gastronomia e, ainda assim, visitar algumas das atrações mais importantes e populares de Barcelona. Para conseguir aproveitar bem cada momento do seu fim-de-semana, será boa ideia apostar nos transportes públicos, rentabilizando ao máximo o tempo disponível.

Las Ramblas

Las Ramblas, Barcelona

Repleta de animação e energia, passear pelas Ramblas é uma experiência imperdível, já que irá encontrar espetáculos de rua a cada passo, muita música, animação, restaurantes e esplanadas. Esta é a principal avenida da cidade, sendo a que pratica os preços mais elevados, no que respeita a serviços.

Sagrada Família

Da autoria de Gaudi, o edifício é o mais icónico da cidade, sendo um verdadeiro símbolo incontornável de Barcelona. Atualmente, a obra continua por terminar, o que não impede a afluência de turistas que, durante todo o ano, fazem fila para visitar o interior da igreja. Se fizer mesmo questão de conhecer esta maravilha arquitetónica por dentro, compre o bilhete com antecedência, para evitar as imensas filas.

Museu Picasso

Visitado por apreciadores de arte de todo o mundo, o Museu Picasso encontra-se aberto desde 1963, encontrando-se instalado ao longo de cinco palácios. Com algumas das obras de arte mais populares do mundo, o museu reúne diversas obras de Picasso, doadas pelo próprio pintor.

Parc Guell

De paragem obrigatória, o Parc Guell trata-se de um parque que reúne diversas obras de arte, incluindo de Gaudi. Neste magistral parque, poderá passear pelos jardins e desfrutar das mais diversas atrações, tratando-se de um espaço repleto de animação.

Bairro Gótico

Ideal para quem procura animação, especialmente à noite, o Bairro Gótico é uma das paragens mais importantes, tratando-se de uma zona de edifícios antigos, que preserva o aspeto tradicional e pitoresco da cidade. O bairro encontra-se repleto de bares, restaurantes e animação de rua.

Museu de Arte Contemporânea de Barcelona

Se é um apreciador de arte moderna, é certo que não irá querer perder a oportunidade de ver de perto algumas das obras dos artistas contemporâneos mais famosos. Reunindo uma variadíssima coleção de obras dos últimos 50 anos, o Museu de Arte Contemporânea encontra-se inserido num moderno edifício, assinado por Richard Meier.

Desde que bem planeado, um fim-de-semana passado em Barcelona pode ser uma excelente forma de desfrutar da cidade, envolta num encanto outonal, longe das temperaturas elevadas e das concentrações turísticas das épocas altas.

Para informações complementares pode aceder ao site oficial do Turismo de Barcelona ou até à própria página da cidade na Wikipedia.

Video:

post

Diversão pelas ruas de Amesterdão

Conhecida sobretudo graças ao singular modo de vida que atrai turistas um pouco de todo o mundo, a capital holandesa é ela própria uma das grandes bases promocionais do país e um dos destinos mais populares na Europa. Seguramente que não será o local ideal para viajantes mais conservadores, no entanto, tal não deve impedir que seja admirado o esplendor e os muitos pontos de interesse que a cidade tem para oferecer a quem a visita.

Importante centro financeiro do continente europeu, Amesterdão há muito se tornou famosa pelos seus excepcionais museus e uma invejável área portuária que não tem igual em parte alguma. Contudo, e apesar da sua relativamente pequena dimensão, a área metropolitana de que é centro integra diversos aspectos dignos de realce turístico, entre os quais se destacam elementos de ordem arquitectónica, artística e, claro, o entretenimento.

O que visitar em Amesterdão

AmesterdãoOs turistas mais aventureiros poderão facilmente percorrer a cidade de uma extremidade à outra, a pé ou de bicicleta, beneficiando dessa forma de uma visita única que de outra maneira não teria o mesmo impacto. Ainda assim, sugerimos-lhe que o faça recorrendo a um roteiro previamente bem estabelecido para que vá usufruindo dessa caminhada tirando partido dos focos de interesses à medida que por eles passa.

Fique com algumas recomendações do que pode ver na capital da Holanda

Museus: Madame Tussauds (entreposto local do famoso museu de figuras de cera), Stedelijk Museum (museu de arte moderna), Museu Van Gogh, Rijksmuseum (Museu Nacional), Casa Rembrandt, Ons Lieve Heer op Solder (antiga igreja católica clandestina do XVII), Museu das Túlipas de Amesterdão (Amsterdam Tulip Museum), Museu Histórico de Amsterdão (Amsterdam Historish Museum) e Museu dos Diamantes (Diamond Museum).

Eventos: Dia da Rainha (Koninginnedag, realizado a 30 de Abril), Amsterdam Pride (Amsterdam Gay Pride, festival anual realizado no primeiro fim-de-semana de Agosto), Mês das Túlipas (Abril), PAN Amsterdam (reconhecida feira de arte contemporânea, decorre habitualmente em Novembro), Cannabis Cup (festival da Cannabis; acontece em Novembro), Vondelpark Openluchttheater (festival de teatro ao ar livre; começa geralmente em princípios de Junho e acaba nos primeiros dias de Setembro), Over het IJ Festival (festival de artes performativas e de palco; prolonga-se durante 10 dias, tendo lugar em Julho).

Edifícios religiosos e civis: Begijnhof (uma das zonas mais belas e antigas da cidade, datada de 1346, com muito para ver), Igreja e Torre Westerkerk e WesterToren, Sint Olofskapel (a capela mais antiga da cidade), Igreja St Nicolaaskerk, casa de Anne Frank, The Narrowest House (“a casa mais estreita”), Eerste Hollandsche Verzekeringsbank.

Diversos: Heinekken Experience (imperdível para os amantes da cerveja e todos os curiosos em busca de conhecerem melhor o seu processo de fabrico), Albert Cuyp Market (popular mercado de rua situado em De Pijp, no distrito Oud-Zuid, entre Ferdinand Bolstraat and Van Woustraat), Ajax Experience (experiencie as emoções e conheça a história do maior clube da cidade), Bairro dos Diamantes (é preciso dizer mais? Aqui se encontra o deslumbrante Museu dos Diamantes e duas fábricas que trabalham a pedra preciosa, Diamantes Coster e Diamantes Gassam. Um local de paragem obrigatória para o público feminino… e não só), Praça Rembrandt (Rembrandtplein: óptimo local de diversão), Hortus Botanicus Amsterdam (um dos jardins botânicos mais antigos do mundo; possui variadas espécies autóctones raras), Bairro da Luz Vermelha (Red Light District – local de eleição das famosas coffeeshops e onde a prostituição é legal. Aqui poderá ainda encontrar inúmeras sex shops e bares com shows eróticos, espaços de cinema para adultos e um Museu do Sexo)

Dicas para férias baratas em Amesterdão

Amesterdão

Nos museus da cidade conseguirá habitualmente bilhetes acessíveis, entre €5 e €15, havendo inclusive alguns totalmente gratuitos durante o ano todo ou que em certos dias oferecem as visitas guiadas. No entanto, o melhor é consultar as páginas online dos espaços concretos que pretende conhecer e informar-se acerca dos valores exactos, aproveitando as promoções que é normal surgirem de quando em vez. Outra boa forma de se poupar nas entradas é adquirir o cartão dos museus (museumkaart), título que por €44,90 (preço em vigor a 17/12/12) lhe dá acesso imediato a dezenas de museus na “Veneza do Norte”, bem como a diversas entidades museológicas dos Países Baixos.

O alojamento em Amesterdão não é dos mais baratos, porém, é relativamente simples obter hotéis desde €16/pessoa, embora localizados fora do centro, o que até acaba por ser benéfico, pois à noite será complicado descansar com todo o ruído e azáfama vindos das ruas, sobretudo na altura da Primavera e Verão, épocas altas deste cosmopolita destino. E uma vez que numa questão de minutos se deslocará de um espaço da cidade para o outro, mesmo ficando longe do foco nevrálgico da “acção” estará a um mero passo logo que deseje regressar aos seus planos turísticos.

Se pretender viver em pleno a experiência Amesterdão terá de desembolsar cerca de €200 por noite (não, não é um engano!) num estabelecimento residencial mais central, algo que é residual se comparado, por exemplo, com os montantes praticados em Londres ou Paris, mas ainda assim elevados para o diminuto poder de compra médio dos portugueses. Nesse sentido, procure os melhores preços antecipadamente e reserve a sua estadia em instâncias hoteleiras tradicionais (na maioria das situações são edifícios antigos mas muito bem conservados: com valores desde os €60/noite), hostels (não há grande escolha neste caso: a partir dos €35/40 por noite/pessoa) e hotéis mais modestos (de duas ou três estrelas: rondam os €100/noite), dado que nestes terá as ocasiões mais em conta.

O meio de deslocação recomendado é o eléctrico, cujo funcionamento é semelhante à rede das companhias nacionais, ou seja, de validação de bilhete. Os passes variam consoante o limite horário, partindo dos €2,50/hora e subsequentes diários (24h: €7,50), dois dias (48h: €12,00) e três (€16), quatro (€20,50), cinco (€25), seis (€28,50) ou sete (€31) dias, podendo consultar o preçário actual da GVB para confirmar as últimas informações. Em alternativa tem também à sua disposição os táxis fluviais com os seguintes títulos: diário (€20), 24 horas (€22), 48 horas (€26) e diversas rotas específicas, incluindo passes mistos, com valores disponíveis neste sítio online.

Faça as suas contas, estude as oportunidades existentes e trace um roteiro turístico pela capital holandesa à sua medida. Amesterdão espera por si!

Video

post

Tailândia: uma viagem de sonho

Quando em viagem existem sempre inconvenientes que gostaríamos de poder evitar, com ou sem crise. Por exemplo as limitações dos hotéis e pensões relativas aos animais de estimação, as horas a que uma pessoa pode entrar ao sair do edifício onde esta alojada, o checkin ou checkout que tem de ser feito até uma certa hora, um limite de uso das regalias que o espaço tem para oferecer e sobretudo o preço que no final temos sempre de pagar.

Porque não viajar para um lindo destino como por exemplo para a Tailândia ficar numa linda casa e misturar-se com os nativos em vez de nos prendermos a um hotel? E melhor ainda evitar a tão temida conta.

Tailândia um local de tropicais encantos

Banguekok, Tailândia A Tailândia é um pais localizado no sudeste asiático, esta repleto de florestas e algumas cadeias montanhosas onde antes enormes populações de elefantes vagueavam. A sua capital Banguecoque é conhecida como a “cidade dos anjos”, com uma população de dez milhões de habitantes e um contraste incrível entre as suas duas partes. A moderna metrópole repleta de centros comerciais e edifícios junto ao rio e a parte antiga ainda com a fisionomia, templos e palácios do séculos XVIII.

Locais a visitar serão sem dúvida as margens do rio Chao Phraya, mais conhecido como o “Rio dos Reis”, onde se encontra o Palácio Real e o templo do Buda Esmeralda ( Wat Phra Kaeo), num ambiente ricamente decorado com templos dourados e torres. É ainda de destaque a culinária local, o mercado flutuantes, ou seja literalmente um mercado efetuado entre embarcações dentro dos cursos de água e ainda locais como o Museu Nacional e o Templo do Buda de Ouro.

Como conseguir alojamento a custo zero?

Para poupar no alojamento e viajar para terras tão distantes é possível hoje em dia através do site www.trocacasa.com. O conceito aqui é que nos sintamos em casa e para isso, pessoas de todo o mundo disponibilizam as suas próprias casas para trocar com outras pessoas, ou seja viajamos e ficamos na casa de alguém que nem conhecemos. Existem por isso duas opções: sermos recebidos pelos donos das propriedades e ficarmos a viver em família com os mesmos ou termos a casa pra nós mesmos no período que combinamos. Podemos assim ter um verdadeiro lar para aproveitarmos as nossas férias, ou até realizar um sonho, pois a categoria de “ casas “ incluí: apartamentos, vivendas, iates e até caravanas. Uma forma económica de viajar que implica alguma flexibilidade na calendarização das férias, uma vez que dependemos diretamente de outra família mas que nos permitirá sentir como se de facto tivéssemos mudado de pais e rotina.

Porque, apesar da falta de confiança nos dias que correm existe, existem ainda pessoas com boas intenções, que não ó nos podem emprestar a sua casa como que oferecer uma nova forma de viajar, poupando e dar conhecer lindos países como a Tailândia que certamente veremos com outros olhos depois de visitar e lá viver por um curto período como quase verdadeiros tailandeses.

post

Uma perspectiva turística sobre Londres

A capital britânica é um dos destinos favoritos de milhares de turistas europeus e outros tantos do maior espaço global mas a verdade é que não é uma cidade para qualquer carteira. O nível de vida nesta metrópole inglesa supera bastante o português e são raros os casos ocidentais que a ele se podem comparar. No entanto, um esforço de poupança mantido ao longo de um ano, eventualmente mais, será o suficiente para se economizar a quantia necessária e viajar até Londres para uma ou duas semanas de férias que certamente lhe ficarão na memória.

O que ver e visitar em Londres

LondresCentro financeiro do Reino Unido, Londres é também uma zona cosmopolita de cultura, arte e entretenimento dos mais diversos géneros. Por isso, não deverá existir grande dificuldade em se encontrarem pontos de interesse até para o menos comum dos gostos. E se duvida que tal é possível dê uma vista de olhos às recomendações que lhe deixamos de seguida.

Eventos

A passagem de ano é algo imperdível em Londres, valendo a pena “só” pelo seu deslumbrante espectáculo de fogo-de-artifício, cor e animação absolutamente único. Porém, existe um sem número de eventos a que poderá assistir na capital britânica, incluindo o City of London Festival (música, arte, arquitectura e cinema. Decorre entre Junho e Julho), a London Art Fair (maior evento de compra e venda de arte do país. Realiza-se em Janeiro), o London Boat Show (mostra de embarcações marítimas que decorre no primeiro mês do ano), a Maratona de Londres (a tradicional maratona citadina que se corre anualmente em Abril), a London Parade (mítico festival de rua que começa logo após as 12 badaladas que assinalam a chegada do novo ano), o Rise Festival – London United (festival de cariz global que celebra a multiculturalidade e a defesa da igualdade contra a descriminação. Foi renomeado para UpRise Against Racism), Spitalfields Festival (actualmente conhecido por Spitalfields Music. A edição de Verão é em Junho e a de Inverno em Dezembro), o SouthWestFest, o Carnaval del Pueblo (Agosto) e o Notting Hill Carnival.

LondresÍcones da cidade: Piccadilly Circus, Big Ben, Palácio e Abadia de Westminster, Palácio de Buckingham, Museu de Cera Madame Tussaud, National Gallery, Tate Gallery, Catedral de São Paulo, Museu Britânico, Palácio de St. James, Torre de Londres, Tower Bridge.

Espaços verdes: Bushy Park, Green Park, Greenwich Park, Hyde Park, Kensington Gardens, Regent’s Park, Richmond Park e St. James’s Park (Parques Reais de Londres).

Museus e galerias de arte: Instituto Courtauld, Pollock Toy Museum, Museu das Marcas, National Cartoon Museum, The British Postal Museum & Archive, Museu de Londres, National Maritime Museum (Museu Marítimo), National Portrait Gallery e Photographers’ Gallery (espaços de arte fotográfica), Museu de História Natural, Sir John Soane’s Museum, Science Museum (Museu da Ciência), Serpentine Gallery.

Teatros, anfiteatros e cinemas: Royal Opera House, Palace Theatre, Soho Theatre, Royal Court Theatre, National Theatre, Hampstead Theatre, Victoria Palace Theatre, Mayfair e The Tricycle Theatre, entre outros.

Edifícios e espaços diversos: Igreja de Santa Margarida, Catedral de Westminster, Biblioteca Britânica, Abbey Road (famoso estúdio de gravação utilizado pelos The Beatles), London Wall (na Fenchurch Street), Whitechapel Bell Foundry (considerada por muitos como a mais importante fundição de sinos do mundo. Aqui nasceram os sinos do Big Ben e o Liberty Bel, icónico símbolo da independência norte-americana).

Comércio e compras: Borough Market, Covent Garden Market, Regent Street, Portobello Road Market, Camden Market, Portobelo Market, lojas das grandes marcas em Oxford Street e as lojas de artigos de luxo em Knightsbridge e Bond Street.

Outros pontos turísticos: Central London-West End, Wellington Arch, London Eye, Torre de Londres (Tower of London), Portobelo Road, Notting Hill, Trafalgar Square, Bank of England (instituição reguladora máxima do sistema bancário britânico), Marble Arch, Abbey Road, Notting Hill (conhecida área londrina que acolhe anualmente o Carnaval de Notting Hill, British Film Institute’s Mediatheque e muito mais…

Dicas para férias baratas em Londres

LondresAntes de avançarmos para sugestões concretas de como poupar em férias na capital inglesa sublinhamos desde logo o “London for free” (Londres de borla), expressão que designa tudo aquilo que pode ver, visitar e fazer na cidade sem gastar um único cêntimo ou, neste caso, um único centavo. No lote de gratuitidade incluem-se populares atracções turísticas, artísticas, museológicas, entretimento e eventos de vertentes distintas, entre inúmeras outras actividades e locais que poderá conhecer em websites como o londontown.

Quanto aos transportes aconselha-se a compra do London Pass, título diário colectivo para os meios de locomoção públicos londrinos como o metro (O Tube ou London Underground) e o autocarro (os turísticos são os chamados Red Bus, nomeadamente o icónico Nº 15), um bilhete geral com valores específicos mediante o tipo de utilização e cujos valores começam nos £44 (€54. Pode verificar as condições de aquisição e os preços actuais no sítio oficial). Se este não for o mais indicado para si tem ainda à sua disposição o Travelcard (possui viagens ilimitadas desde €10,57/Zona 1 e €35,87 por sete dias), o Oyster Card (cartão que funciona por um sistema de créditos) ou as bicicletas citadinas para uma aventura londrina mais pessoal.

Caso procure alojamento só para dormir, a alternativa mais económica é de longe o easyHotel, onde terá estadias em pequenos quartos individuais ou duplos com casa de banho privativa a preços bastante reduzidos se comparados com a hotelaria tradicional. Em Londres estão situados em Heathrow (€33,17), Barbican e Victoria (€35,63), Paddington (€41,78), Sul de Kensington e Earl’s Court (€43). A marca hoteleira está igualmente presente na Escócia (Edimburgo e Glasgow), Portugal (Porto), Holanda (Amesterdão), Suíça (Basileia e Zurique), Alemanha (Berlim), Hungria (Budapeste), Chipre (Larnaca), Bulgária (Sófia) e Emirados Árabes Unidos (Dubai).

A média do custo/noite nos convencionais hotéis ronda os €150, havendo algumas raras oportunidades à volta dos €120, sendo possível alugar quartos desde os €60 nas zonas mais afastadas do centro de Londres efectuando reservas com a devida antecedência. Porém, não conte em gastar menos €30 por dormida.

No que toca às refeições recomenda-se a escolha preferencial do menu do dia nos restaurantes locais e as diárias dos estabelecimentos mais tradicionais, cujos preços variam entre os €10 e os €15, metade dos €20/€30 geralmente cobrados se “fugir” às sugestões do chef ou desejar um prato menos habitual. As cadeias de confeccionados rápidos também são uma boa opção mas se a elas recorrer favoreça as de sopas, saladas e outras comidas mais saudáveis.

Vídeo

London Travel Guide – Cheap Tips and Sightseeing

post

Destinos de Lua-de-mel: 9 locais únicos

Costuma-se dizer que quem casa quer casa. Mas quem casa também quer lua-de-mel. De mais semana, menos semana, o que importa é que seja uma experiência inesquecível.

Para onde ir?

É claro que o destino de eleição depende das preferências e da personalidade de cada elemento do casal. Todos nós somos diferentes e, por vezes, o que agrada a uns não agrada a outros. Por isso, deixo-lhe aqui as mais variadas sugestões para destinos de lua-de-mel.

Lua-de-mel Praia e Mar

  • Ilha Terceira – Açores: De todas as ilhas dos Açores esta é, sem dúvida, a mais romântica. Angra do Heroísmo, devido ao seu clima ameno e beleza natural, foi declarada como património da UNESCO. Se ficar nesta ilha pode optar pelo Hotel Terceira Mar. Este é um luxuoso hotel de quatro estrelas constituído por cento e trinta e nove quartos. Pode ainda usufruir de uma piscina interior aquecida, jacuzzi e sauna. Ainda não está convencido? Para mais informações consulte http://www.terceiramarhotelazores.com. Preço do quarto: Cerca de 72€.

Turtle Island

  • Ilha Turtle – Fiji: Lembra-se do filme “Lagoa Azul”? Lembra-se da ilha com aquele imenso mar azul? Então é mesmo dessa ilha que lhe vou falar. Este é o sítio ideal se tiver em mente uma lua-de-mel longe de tudo e de todos uma vez que não existem estradas, televisões ou telemóveis, apenas um telefone. Tem ao seu dispor catorze quartos em bungalows equipados com jacuzzis. Para mais informações consulte http://www.turtlefiji.com.
    Preço do quarto: Não especificado.
  • Bahamas: E que tal desfrutar de uns belos dias ou semanas nas famosas areias cor-de-rosa? As areias são desta cor devido à erosão dos corais o que as torna únicas e encantadoras. Aqui pode ficar hospedado no Resort Pink Sands que se dedica especialmente a casais que estão em lua-de-mel. Muito bom, não? Para mais informações visite http://www.pinksandsresort.com.
    Preço do quarto: A partir de $1,700 por pessoa – pacote promocional.
  • Maldivas: As tradicionais e maravilhosas Maldivas não podiam ficar de fora deste leque de escolhas para a sua lua-de-mel. Pode ficar hospedado no luxuoso Dhoni Mighili que tem à sua disposição seis bungalows disponíveis para um máximo de doze hóspedes. Cada hóspede tem direito a um barco ou a um Maldivian dhoni (veleiro com tripulação). Para mais informações consulte http://www.dhathurumaldives.travel.
    Preço do quarto: Não especificado.

Lua-de-mel Citadina

  • Buenos Aires – Argentina: Conhecida como uma cidade europeia da América do Sul, Buenos Aires é um local fantástico para que passe uma lua-de-mel inesquecível. Uma vez lá aproveite a gastronomia, o tango, a arte e a cultura desta terra. Pode ficar hospedado no Hilton Buenos Aires. Para mais informações consulte http://www3.hilton.com.
    Preço do quarto: A partir de §339.
  • Paris – França: Quando se pensa em amor a resposta imediata é Paris. Por isso, para uma lua-de-mel super romântica, nada melhor do que esta cidade. Nesta cidade, as opções em termos de alojamento são mais do que muitas. Contudo, deixo-lhe aqui apenas uma sugestão. Pode ficar hospedado no fabuloso Hotel Four Seasons George V Paris com uma vista maravilhosa para a Torre Eiffel. Uma vez em França aproveite para fazer compras nas inúmeras lojas e aprecie a arte que abunda nesta cidade. Para mais informações consulte http://www.fourseasons.com/paris.
    Preço do quarto: A partir de 925€.
  • Nova IorqueNova Iorque – EUA: Seja em que situação for Nova Iorque é sempre um destino fantástico. Desde os deliciosos cupcakes, espectáculos da Broadway, restaurantes, museus, paisagens até às inúmeras lojas de tudo e mais alguma coisa esta cidade é absolutamente maravilhosa. Como deve saber, nesta cidade tudo é em grande e os hotéis não são excepção. Fica aqui a sugestão do romântico The Bowery Hotel. Para mais informações consulte http://www.theboweryhotel.com.
    Preço do quarto: Desde §725.
  • Veneza – Itália: Veneza é uma cidade que respira amor. Em Itália irá ter uma lua-de-mel inesquecível pelos melhores motivos. Não há nada melhor do que acordar nos braços da sua cara-metade e poder contemplar as águas calmas de Veneza no Hotel Cipriani. Este hotel, situado na Ilha Guidecca, é constituído por treze suites, sendo que a mais requintada é a suite Dogaressa com vista para a Basílica de S. Marco. Pode ainda usufruir de um belo banho a dois na piscina aquecida do hotel. Para mais informações visite http://www.hotelcipriani.com.
    Preço do quarto: Sete noite em quarto duplo a partir de 5000€.
  • Rio de Janeiro – Brasil: Calor, água de coco, praia, caipirinhas e samba… isso faz-lhe lembrar alguma coisa? O Brasil claro. Todo este país é fantástico no entanto vou-me restringir apenas a uma cidade – Rio de Janeiro. Aqui pode visitar o famoso Cristo Redentor, o Pão de Açúcar, a Praia de Copacabana, o Parque Nacional da Tijuca e outras das belezas do Rio de Janeiro. Sítios para ficar hospedado são também coisa que não falta. No entanto, recomendo o Hotel Copacabana Palace. Para mais informações visite http://www.copacabanapalace.com.br.
    Preço do quarto: Desde 700€ por noite.

Agora, depois destas sugestões, já sabe onde vai passar a sua lua-de-mel?

post

Monumentos Mais Visitados da Europa

No artigo que se segue irei dar-lhe a conhecer os monumentos mais visitados da Europa. Este continente é bastante procurado por turistas dos mais diversos pontos do mundo devido aos seus numerosos e bonitos monumentos e construções. Se é uma daquelas pessoas apaixonadas por história, arte e monumentos então fique atento.

Os mais visitados em França

  • Catedral de Notre Dame: Situada no coração de França, em Paris, esta Catedral é uma obra-prima que representa muitíssimo bem a arquitectura gótica. Esta igreja rodeada pelo Rio Sena demorou mais de duzentos anos a ser construída, tendo ficado concluída em 1935.

  • Disneyland Paris: O parque da Disney que faz as delícias de miúdos e graúdos. Inaugurada em 1922, a cerca de trinta quilómetros de Paris, a Disneyland é um verdadeiro sucesso turístico.

  • Basílica de Sacré-Coeur: Construída entre 1875 e 1914, esta Basílica possuí umas das mais maravilhosas vistas sobre Paris. Uma vez que se encontra edificada no topo da colina de Montmartre.

  • Museu do Louvre: Com mais de trinta e cinco mil peças de arte este museu é um ponto de visita obrigatória para quem está de passagem por França. De entre as enumeras peças de arte que pode encontrar no Louvre é de destacar o quadro de Mona Lisa e a Vénus de Milo. Conhecido pelas suas polémicas pirâmides de vidro, erguidas em 1989, o Louvre é um verdadeiro paraíso para os amantes da arte.

  • Torre Eiffel: Ir a Paris sem visitar a Torre Eiffel não é realmente ir a Paris. Construída em 1889, tem trezentos e vinte e quatro metros de altura e é a imagem de marca da capital francesa.

  • Santuário de Lourdes: Sendo hoje um dos mais importantes pontos da congregação cristã, este santuário tem uma história na sua origem. Em 1858, uma menina de catorze anos teve visões da Virgem Maria na Gruta de Massabielle. Em seguida outros milagres foram atribuídos àquelas águas termais da gruta e assim nasceu este santuário. Este edifício contém duas basílicas, três museus e nove capelas.

Os mais visitados em Itália

  • Coliseu de Roma: Terminada a sua construção no ano oitenta depois de Cristo, o coliseu era uma arena com capacidade para cinquenta mil espectadores, na qual se travavam lutas mortais entre gladiadores, combates navais e se viam peças de teatro. Hoje em dia, o Coliseu de Roma é um dos mais procurados e importantes símbolos do império romano.

  • Santuário do Padre Pio: Construída nos anos cinquenta, no litoral leste de Itália, a igreja de Santa Maria delle Grazie tem o corpo preservado do Padre Pio, um santo muito venerado. Em conjunto com a igreja de Pelerinagem do Padre Pio (2004), estas atraem milhões de fieis anualmente.

  • Basílica de São Marcos: Situada em Veneza, esta obra-prima é um excelente exemplo da arte bizantina, sendo por isso um dos mais visitados monumentos desta cidade.

  • Basílica de São Francisco de Assis: Edificada no centro de Itália no século XIV, esta basílica está repleta de pinturas dos mais famosos artistas da época. Peregrinos do mundo inteiro viajam até Itália para a poderem visitar.

  • Fórum Romano: Este é mais uma das réplicas dos impressionantes vestígios romanos. Este Fórum foi centro social, comercial e político de Roma durante mais de mil e duzentos anos.

Os mais visitados no Vaticano

  • Basílica de São Pedro: Este é um dos maiores e mais sagrados sítios católicos da Europa. Para além de ser um belo sitio para contemplar trabalhos de importantes artistas do Renascimento.

  • Museus Vaticanos: Reúne uma das maiores colecções de arte do mundo. Trabalhos de Rafael, Caravaggio e Michelangelo fazem parte do Museus Vaticanos, grupo de museus e instituições culturais da Santa Sede.

  • Capela Sistina: Quem é que nunca ouviu falar desta capela tão famosa por causa do seu tecto pintado por Michelangelo? Esta capela conta também com obras de outros artistas do Renascimento como Botticelli, Perugino e Rosselli.

Os mais visitados na Turquia

  • Grande Bazar: Construído no século XV, o Grande Bazar é um dos maiores e mais antigos mercados do planeta. Cerâmicas pintadas à mão, tapetes coloridos e jóias são algumas das coisas que aqui pode encontrar. Os turistas podem ainda degustar aqui as delícias da gastronomia turca.

  • Mesquita Azul: Construída em Istambul no século XVII, esta é um dos principais marcos turísticos da cidade.

  • Hagia Sofia: Ao início era uma Basílica, tendo sido posteriormente transformada numa Mesquita em 1453. Hoje em dia funciona como museu que faz as delícias dos visitantes.

Os mais visitados na Espanha

  • Arco do Triunfo: Pensado para a exposição universal de 1888, o Arco do Triunfo de Barcelona marca a entrada no Parc de la Ciutadella. No alto do arco há anjos a tocar trompas e a exibir grinaldas.

  • Palácio de Cristal: Edificado no ano de 1887 em Madrid este foi edificado para servir de estufa durante uma exposição colonial. Mais tarde passou a acolher o Museu do Ultramar.

  • Templo de Debod: Localizado em Madrid, com mais de dois mil anos, este é um templo de origem egípcia que foi desmontado e transportado pedra por pedra até Espanha. Este é um lugar mágico para ver o pôr-do-sol.

  • Museu Nacional de Arte da Catalunha: Este museu inaugurado em 1934 está situado no Palácio Nacional em Barcelona. O museu está repleto de obras de arte de entre as quais se destacam as do género romântico.

  • Casa Milà: Também conhecida como La Pedrera (a pedreira). Foi construída por Antoni Gaudí entre os anos de 1905 e 1907. Actualmente faz parte do património mundial da UNESCO. Um monumento a não perder na cidade de Barcelona.

Os mais visitados na Alemanha

  • Catedral de Colónia: Tendo demorado mais de seis séculos para que fosse construída, esta Catedral foi inaugurada em 1880, sendo hoje um grande monumento da arte gótica. Esta Catedral tem uma vista excelente para a cidade e para o Rio Reno.

Os mais visitados na Inglaterra

  • Museu Britânico: Este museu foi fundado em 1753 e conta com mais de sete milhões de objectos diferentes. Destes destacam-se a Pedra de Roseta (que ajudou a decifrar a escrita egípcia) e os frisos do Partenon de Atenas. Para além de todas estas qualidades, a entrada no museu é gratuita.

  • Tate Modern: Situado em Londres, este museu abriu em 2000. Este rapidamente se tornou num dos mais importantes museus de arte moderna do mundo contando com obras de artistas como Dalí, Matisse e Magritte.

  • National Gallery: Este é um dos museus mais visitados da capital inglesa que conta com obras de artistas como Van Gogh, Boticelli e Gauguin. Para além de tudo isto a entrada neste museu é gratuita.

  • Museu de História Natural: Situado em Londres, este museu conta com mais de setenta milhões de itens, incluindo diversos exemplares recolhidos por Charles Darwin.

E é pela Inglaterra que concluo o resumo dos monumentos mais visitados da Europa. Depois de saber algumas informações sobre eles, qual ou quais é que não vai perder a oportunidade de visitar?

post

Valmorel: A Vila do Gelo

Valmorel é uma vila maravilhosa situada no Grand Domaine, nos Alpes franceses. Neste sítio pode maravilhar-se com os montes brancos a perder de vista. A melhor forma de conhecer esta Vila do Gelo é através de longas caminhadas nas quais poderá contemplar a beleza da natureza e conhecer as lojas, restaurantes e cafés deste pequeno paraíso. Esta vila foi considerada das mais atraentes e amigáveis estâncias de esqui de toda a França.

Como chegar?

Depois de apanhar um avião do seu país de residência o próximo passo é uma viagem de autocarro. Do aeroporto de Genéve (na Suíça) até Valmorel são cerca de 125 quilómetros de distância.

O que fazer?

Devido à enorme quantidade de neve e às espectaculares montanhas, Valmorel é o lugar ideal para fazer esqui e caminhadas na neve com as típicas raquetes. Por isso se estiver a considerar uma visita a esta vila não deixe que estas oportunidades lhe passem ao lado.

Onde ficar alojado?

Se visitar Valmorel pode aproveitar e ficar alojado no Village Club Med, com 394 quartos, que é uma das mais recentes novidades desta vila. Situado a uma altitude de 1.460 metros este proporciona-lhe uma vista privilegiada sobre a estância de esqui. Além dos 150km de pistas e das excelentes condições para a prática deste desporto toda a estância transpira requinte e conforto.

No caso de ficar lá instalado aproveite para relaxar usufruindo do serviço de SPA com vista para as pistas de esqui, o banho turco e a piscina interior aquecida bem como a piscina exterior e o jacuzzi. Se gosta de se manter activo pode aproveitar também a sala de musculação, as aulas de step e pilates e o cardiotraining. Pode também aproveitar e deliciar-se com os queijos e carnes no restaurante La Laiterie. É de salientar que todas estas actividades estão incluídas no preço do quarto (salvo raras excepções).

Para mais informações consulte www.clubmed.pt.

Conselhos úteis

  • Como se trata de uma zona bastante fria deve vestir várias camadas de roupa fina em vez de poucas peças demasiado quentes.
  • Leve uma máquina fotográfica/vídeo para que registe todos os momentos das suas férias.
  • Use óculos de sol e protector solar. O “bronze” da neve é bastante perigoso.
  • Ande de teleférico para atingir o topo da montanha e desfrutar da paisagem.
  • Prove o famoso queijo Beaufort (que já ganhou alguns prémios) e alguns dos bons vinhos da região.
  • Se ficar alojado no Village Club Med tem de ir, pelo menos uma vez, às famosas festas que se realizam na zona de buffet.

Caso seja um apaixonado pela neve e pelos respectivos desportos não pense mais. Valmorel é o destino ideal para as suas próximas férias.

post

Uma rota low cost por Bruxelas

É em altura de crise que os portugueses se tornam mais inventivos e também os operadores turísticos a funcionarem em território nacional perceberam que só dessa forma conseguem vingar no mercado lusitano. Seguindo essa óptica, ficam alguns conselhos para gozar de férias baratas em Bruxelas com a ajuda de uma bem preparada rota low cost pela cidade.

Dicas para férias baratas em Bruxelas

Se viaja de Portugal, em especial no presente momento, certamente notará que o custo de vida é ligeiramente superior em Bruxelas, no entanto, existem alguns truques capazes de tornarem a sua visita menos dispendiosa. Desde residência à alimentação, passando pelos transportes e até oferta turística (bilhetes ou entradas de eventos pontuais, etc.) há diversas atitudes que pode assumir para obter os melhores preços sem que com isso tenha de abdicar da qualidade dos serviços.

Uma das vantajosas estratégias de poupança resulta da procura dos hotéis mais acessíveis fora do centro da cidade, dado que os valores por noite são bastante mais atractivos. Ao invés de desembolsar mais de €60/noite encontrará alojamento desde €25/30, significativamente mais convidativo, mesmo que consequentemente isso implique pagar transportes rumo aos pontos de interesse. Hostels e residenciais também são uma boa alternativa a partir de €20.

Outras boas formas de economizar consistem em escolher as refeições diárias oferecidas pelos estabelecimentos locais (desde €8) mas tentando divergir dos negócios do centro e localizados perto de monumentos importantes, já que habitualmente têm preços mais elevados; e adquirir títulos de viagem para os transportes públicos, sobre os quais convém pedir informações junto da operadora de viagens ou no próprio aeroporto, na chegada a Bruxelas.

O que visitar em Bruxelas

Atomium, BruxelasDestino de excelência que é, a capital belga tem inúmeros pontos de interesse, pelo que não é propriamente simples escolher de entre as possibilidades existentes sem deixar de fora pontos de interesse. Porém, deixamos-lhe um conjunto de locais absolutamente imperdíveis:

Manneken Pis: o famoso (e) indecente menino a urinar – que é na verdade uma fonte de água – é um ícone belga, um dos mais famosos, inclusive. Tem apenas 60 centímetros de puro bronze e sobreviveu intacto a incontáveis conflitos. É um marco memorável da nação que desde sempre o acolheu;

Cathédrale Saints-Michel-et-Gudule (Sint-Goedele): construído num arrojado estilo gótico, este imponente marco religioso é frequentemente utilizado para cerimónias oficiais mas é de noite que todo o seu esplendor sai realçado com a excepcional iluminação que faz jus a toda a sua magnificência;

No campo artístico vale a pena considerar o Museu de Arte Moderna e Museu da Vile de Bruxelles, Museu Horta e Museu Magritte, cada qual com exposições fixas e ocasionais relativas a períodos históricos e movimentos artísticos distintos que não vão desiludir os apreciadores do surrealismo, fauvismo, art nouveau e arte contemporânea, entre outras correntes que marcaram a história;

Incontornável é também o deslumbrante Grand-Place (Praça Grande), espaço central da cidade que mistura subliminarmente a natureza e construção humana. É considerado por muitos paisagistas como exemplo a seguir no que respeita à incorporação de espaços verdes nas metrópoles. Desde 1998 que é Património Mundial da UNESCO.

Se tiver oportunidade sugerimos-lhe ainda visitar as Casas dos Grémios (cada uma dedicada a profissões típicas da cidade), o Centre Belge de la Bande Dessinée (espaço de homenagem à banda desenhada do país, nomeadamente ao seu maior embaixador, Tintin) e o impressionante Atomium.

Como vê não será assim tão complicado visitar a capital belga com um orçamento apertado. O segredo está em usufruir das ferramentas que tem à sua disposição (designadamente a internet e concorrência existente no mercado turístico) da melhor maneira possível e planear a sua viagem. Não há nada melhor do que viajar poupando. É a excelência de dois mundos…

post

O melhor de Veneza em low cost

Cidade romântica por excelência, Veneza é um destino de férias predilecto dos portugueses no que toca à declaração do amor pela sua cara-metade, surgindo lado a lado com Paris, ainda que ambas as paragens encerrem interesses muito característicos e preços diferenciados que desde logo fazem uma separação do género de turista para o qual se orientam.

Antigo burgo da coroa italiana, o berço da gôndola tradicional deve a sua projecção ao rico património cultural e arquitectónico que tornam a cidade num pequeno e irresistível paraíso a que não faltam argumentos capazes de atraírem o mais peculiar dos visitantes. Embora seja o local ideal dos enamorados, Veneza apresenta (assinaláveis) motivos de atracção que não vão deixar ninguém indiferente, sejam estes os festivais que acolhe, pontos artísticos, religiosos, naturais ou erguidos. Por isso, o conselho que se deixa é o de planear a viagem mediante as suas intenções e gostos pessoais. Não haverá nada melhor do que um roteiro desenhado especialmente para si.

O que visitar em Veneza

A incontornável Praça de São Marcos é um dos símbolos da cidade devendo, portanto, ser um dos espaços a percorrer. Aqui poderá encontrar, entre outros, a Basílica de São Marcos e o Palácio Ducal de Veneza circundados pelo Palácio Ducal e pela Torre do Relógio de São Marcos, bem como pelo Grande Canal, Ala Napoleónica, Logetta e a Biblioteca Marciana. No entanto, convém frisar que no Inverno é provável a praça estar inundada em virtude da subida do nível da água do mar ou de chuvas intensas, sobretudo em Novembro e Dezembro, já que este é espaço mais baixo da cidade.

Se quiser dar uma vista de olhos pela vida quotidiana é imperativo ir de passeio pelos Bairros de Cannaregio, San Polo e Santa Croce, Dorsoduro, Castello e San Marco, ficando assim com uma boa ideia do que é viver numa cidade essencialmente turística em que este é o principal motor de uma relativamente pequena mas próspera economia.

Classificada como Património da Humanidade pela UNESCO, Veneza tem inúmeros pontos de interesse em áreas tão distintas como a arquitectura (palácios, edifícios tradicionais, oficiais e religiosos), artes e cultura (pintura veneziana, música de compositor, eventos musicais e de cinema, teatrais e performativos) e o entretenimento em geral. As oportunidades são imensas, logo, só a vontade e preferências de cada um ditará o que ver e experienciar.

O que ver e visitar em Veneza

Em jeito de nota informativa ficam ainda outras sugestões turísticas venezianas:

  • Museus: Scuola Grande di San Rocco, Musei Civici Veneziani, Museu Arqueológico Nacional, Museu de Arte Oriental, Galeria Internacional de Arte Moderna e Oriental, Museu do Vidro, Museu de História Natural, Museo del Settecento Veneziano, Museu de Merletto, Museu Fortuny, Museu do Palácio Mocenigo (Museo di Palazzo Mocenigo) e Centro de Estudos da História dos Trajes e Tecido (Centro Studi di Storia del Tessuto e del Costume);
  • Concertos e eventos: Interpreti Veneziani, Societa Veneziana di Concerti, Teatro La Fenice, Bienal de Artes, Regata Histórica (primeiro domingo de Setembro), Festival de Cinema (Verão), Carnaval de Veneza (dura 10 dias, terminando quatro dias antes da Páscoa), Semana Nacional da Cultura de Veneza (Abril);
  • Edifícios religiosos: Basílica de Santa Maria Gloriosa dei Frari, Basílica di Santa Maria della Salute; Basílica dei Santi Giovanni e Paolo, San Giorgio Maggiore, San Zaccaria, Santa Maria dei Miracoli, Santa Maria del Giglio, Basílica Santa Maria Gloriosa dei Frari, Madonna dell’Orto, Basílica de Torcello;
  • Diversos: cemitério de Lido (símbolo de redenção onde jazem centenas de judeus), ilhas de Murano (“ilha do vidro”), pontes “míticas” (Ponte da Academia, Ponte da Constituição, Ponte dos Descalços, Ponte de Rialto, Ponte dos Suspiros)

Dicas para férias baratas em Veneza

Uma boa forma de poupar enquanto se visita esta bela cidade italiana é adquirir um bilhete de Vaporetto para fazer uma agradável viagem pela região, apreciando a incomparável paisagem e monumentos locais, gastando apenas umas dezenas de euros (os valores oscilam consoante as áreas, começando nos €7/pessoa). Caso tenha um orçamento ligeiramente folgado tem à sua disposição as gôndolas (desde €100), no entanto, mesmo que escolha o meio de transporte menos dispendioso recomendamos que viaje em ambos, nem que seja curtas distâncias, pois seria incompreensível ir a Veneza e não usufruir destes veículos icónicos.

Os melhores preços de alojamento são habitualmente encontrados no lado Oeste da cidade, em Castello West, onde poderá pernoitar por menos de €20. É certo que não terá luxos por aí além mas os preços são imbatíveis. Se viaja em família, a melhor alternativa será o Bed & Breakfast (cama e pequeno-almoço), residenciais de ambiente familiar a partir de €50/noite.

Quem não desejar ter grandes preocupações no que respeita ao planeamento tem sempre a ocasião da visita guiada pela cidade (city tour) com preços desde os €35 e a possibilidade de ir a pé ou de gôndola, havendo em qualquer das situações acompanhamento em inglês ou em espanhol.